FANDOM


Laureon Moonwolf des Magnum Servalien (Também conhecido como Laureon Moonwolf e como Laureon Magnum Servalis) é o último Sacerdote da Lua vivo, o Guardião de Du Weldenvangr, a floresta que envolve a capital do antigo Império Servaliano, do qual ele é príncipe herdeiro (e hoje,  seria Imperador). Laureon também é o fundador da conhecida Ordem de Myuna Eihwaz, é o portador de Windslash, a Espada Elemental do Vento original, é Mestre Arqueiro, Alquimista e Mestre da Geomancia. Também é Mestre Arcano, especialista na Escola de Necromancia, e um Lich poderoso.

HistóriaEditar

Laureon nasceu em algum momento do final da Terceira Era, no Império de Servalis, em sua capital, Servalia. Durante a infância, foi criado para assumir o papel de seu pai no Império, mas ao entrar na adolescência, declarou sua vontade de ingressar no Culto da Lua e tornar-se um Druida. Com isso, abdicou dos seus direitos sobre as terras do Império e ingressou no Templo da Floresta, o principal templo do Culto. Lá ele fez amizade com Eruantalon, um jovem de origens humildes que buscou o templo para melhorar suas chances de sobrevivência. Tornaram-se praticamente irmãos em seus tempos de estudo.

Laureon e Eruantalon eram dois dos mais talentosos estudantes do Templo, e por isto receberam cada um uma das Armas Elementais, forjadas da tempestade. Laureon ficou com Windslash, a Espada Elemental do Vento. Eruantalon recebeu o Arco Elemental da Noite, com poderes de sombra e luz, c

Av-141-1-

Laureon Moonwolf

onhecido como Moonlightning. Conta-se que estas armas somente podem ser utilizadas propriamente por seus nomeados. Os resquícios dos rituais utilizados para esta nomeação sugerem que a possibilidade de morte do candidato era considerável. Aparentemente, os rituais envolviam a fusão das auras do portador e da arma.

Anos depois, quando ambos eram Sacerdotes formados, um grupo de estranhas pessoas chegou à cidade. Fizeram contato com Eruantalon, e este passou a comunicar-se com eles. Desde então, Eruantalon tornou-se cada vez mais arisco e violento, afastando-se do Caminho dos Sacerdotes. Frequentemente, era confrontado por Laureon. Até que realmente brigaram, e Eruantalon revelou as trevas de dentro de si e aprisionou Laureon.

Ao conseguir libertar-se, Laureon descobre a cidade em chamas, com a maior parte de seus moradores morta. Orcs e Mortos-Vivos destroem todo o lugar. Encontra seu pai, na escadaria de seu palácio, quase morto. Descobre que o Império fora traído, e a destruição era o pagamento pela ingenuidade. Ele esgueira-se então, para sair da cidade e voltar ao Templo, que descobre estar também em ruínas. Um de seus mestres apresenta-se a ele, e o leva até o último resquício do lugar, a Árvore da Vida. Abaixo dela, estão os últimos sobreviventes Servalianos. São anciões e crianças. O mestre pede a Laureon que sele a saída com magia, para que eles possam morrer em paz, sabedo que o jovem elfo buscaria a justiça por seu reino. E assim, ele o faz. Tranca seus antigos companheiros à Árvore, e abandona a cidade, sabendo que o Império acabara.

Por tempos incontáveis, viajou pelo continente, reunindo aventureiros. Contou sua história, que espalhou-se como o vento. Com seus novos companheiros, seguiu para furtivamente para Amicítia, conhecida por ser terra de esperanças. Viajou por terra, viajou por mar.

Lá, fez contato com um clã de protetores nomeado Luz da Lua. Buscou sua aliança, mas estes logo foram destruídos por um grupo de assassinos conhecido nas lendas como Dark Spirits. Passou desde então muito tempo com sua Ordem procurando uma forma de fortalecer-se para retomar o Império de Servalis. Amicítia acabou por ser invadida pelo Grande Cemitério, e Laureon sacrificou-se para salvar seus companheiros.

Sabe-se que foi aprisionado e transformado em Lich, e acabou por tornar-se o Braço Direito de Lorde Boltagon, junto a Eruantalon, o Braço Esquerdo do mesmo rei. Durante 200 (duzentos) anos, ficou restrito às atividades do rei, até que conheceu Leafar, um antigo Dark Spirit, com quem viajou por algum tempo.

Leafar livrou Laureon do controle do Rei Gelado e tomou seu lugar no Conselho do Rei. Desde então, não se ouviu mais falar de Laureon.

O Culto da LuaEditar

O Culto da Lua foi uma religião de mistérios predominante no Império Servaliano. Cultuava a Lua, a Terra e o Ciclo do Ano. Por esta razão, supõe-se que seu poder era emprestado de Meikar, Myuna e Konir. Não se sabe ao certo quais os ritos do Culto. O último que guarda esta informação é Laureon, que está desaparecido.

Seus templos conhecidos são:

  • Templo da Floresta
  • Templo das Montanhas Rochosas
  • Templo do Lago
  • Templo da Clareira

Sabe-se que outros existiram, mas nenhum historiador foi capaz de encontrar suas ruínas, ou dados relevantes sobre eles.

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.